Museu ilhavo argus dvd 1 355 2500
10,00 €

 


A Campanha do Argus, de Alan Viiliers, é um clássico das narrativas de viagens marítimas do período crepuscular da navegação à vela. Numa abordagem típica do género documental e da reportagem cinematográfica de meados do século XX, este oficial da Armada australiana, cultor e repórter das grandes regatas oceânicas e presença assídua nas páginas do National Geographic Magazine do segundo pós-guerra, filmou uma viagem de um dos mais belos veleiros da frota bacalhoeira portuguesa, o Argus.

 

A convite de Pedro Teotónio Pereira, embaixador português em Washington, na Primavera de 1950 Villiers embarcou com os pescadores portugueses. Durante cinco longos meses, viu e registou a dureza da grande faina com o sentido de a documentar. Fê-lo por palavras escritas, através de imagens fixas e de imagens em movimento. Naquele tempo, a pesca do bacalhau por "homens de ferro em navios de madeira", o árduo trabalho dos pescadores portugueses a bordo da mítica "frota branca", era a última grande atividade económica que fazia uso da navegação à vela para viagens transoceânicas. Da viagem única que fez, de Lisboa aos bancos de pesca da Terra Nova, Villiers compôs um tríptico que correu mundo: um extraordinário filme, um magnífico livro e um belo álbum de fotografias cujo original pertence à coleção do Museu Marítimo de ílhavo.

 

A projeção internacional do filme foi tal que a película foi vista emdiversos países e ainda hoje se pode tomar como um documentário de referência sobre este inolvidável património humano. Além de um belo e minucioso memorial da pesca do bacalhau com dóris de um só homem, A Campanha do Argus permite entender os múltiplos significados deste património marítimo singular e desvendar a relação interessada do Estado Novo e do seu aparelho de propaganda com o drama épico da pesca do bacalhau.